30May

Tipos de stress nas plantas. Guia básico para agricultores

 

Da mesma forma que os seres humanos têm de lidar diariamente com situações que os levam aos seus limites, as plantas nem sempre crescem num ambiente ideal e também estão sujeitas a situações externas que as afetam negativamente, tanto a nível fisiológico como metabólico.

Estas situações de stress impedem-nas de atingir ou desenvolver todo o seu potencial produtivo, gerando um impacto negativo significativo na produtividade e até na sobrevivência das principais culturas agrícolas e florestais do mundo.

Neste breve guia dizemos-lhe que tipos de stress existem, o que os causa e que soluções estão disponíveis no mercado. A não perder!

STRESS BIÓTICO E STRESS ABIÓTICO

As situações de stress nas plantas podem ser classificadas em dois grandes grupos, de acordo com o fator que as provoca:

 

  • Fatores bióticos. São produzidos por outros seres vivos: animais, insetos, plantas, fungos, bactérias, agentes patogénicos, etc.
  • Fatores abióticos. São fatores físicos e químicos como a temperatura, a irradiação, a seca, as inundações, a salinidade, a gestão agronómica, a utilização de máquinas ou outros instrumentos agrícolas, etc.

TIPOS DE STRESS NAS PLANTAS

Agora que sabemos a diferença entre stress biótico e abiótico, vejamos os tipos específicos de stress que existem nas plantas. Os mais comuns são os seguintes:

 

1.- Stress térmico.

A maioria das plantas é sensível ao stress térmico e sofre quando as temperaturas excedem os limiares definidos para cada planta. As temperaturas elevadas, por exemplo, provocam danos fisiológicos e metabólicos. Com temperaturas baixas, as plantas param de crescer ou congelam e acabam por morrer.

 

2.- STRESS POR FALTA OU EXCESSO DE LUZ.

A luz é a fonte de energia para a fotossíntese, que está relacionada com a produção de hidratos de carbono e oxigénio. Cada variedade tem as suas próprias necessidades de luz e de sol, cuja falta ou excesso também influencia o seu crescimento e desenvolvimento.

 

3.- STRESS CAUSADO POR INFEÇÕES POR AGENTES PATOGÉNICOS, PRAGAS E VÍRUS.

As plantas podem ser atacadas por outros organismos nocivos que limitam ou afetam o seu desenvolvimento, e a aplicação de tratamentos sintéticos para os combater pode também ser muito stressante, dependendo das condições em que são aplicados.

 

4.-STRESS DEVIDO À AUSÊNCIA OU AO EXCESSO DE NUTRIENTES.

Como é óbvio, a ausência de nutrientes afeta o crescimento das plantas e dos frutos, mas o excesso também tem efeitos negativos, como no caso do azoto e do fósforo.

 

5.- STRESS SALINO.

Este tipo de stress pode ser provocado por um excesso de sal no solo ou na água de rega. Uma má gestão da irrigação também pode levar a estes problemas de salinidade.

 

6.- STRESS HÍDRICO.

O stress hídrico é um dos mais frequentes e uma das principais causas de morte das plantas. Sem água, há um desequilíbrio entre a transpiração e a absorção de água e as plantas não conseguem transportar nutrientes das raízes para as folhas, afetando o crescimento e a produção das culturas. Por outro lado, um excesso de água no meio pode levar a uma série de perturbações que limitam o crescimento das plantas devido à falta de oxigénio.

 

7.- STRESS MECÂNICO.

Trata-se do stress provocado por danos causados por máquinas agrícolas e outras ferramentas utilizadas nas atividades agrícolas, como a poda, a transplantação ou o desbaste, e mesmo por condições meteorológicas adversas, granizo, vento, etc.

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA REDUZIR O STRESS NAS PLANTAS

Agora que conhecemos a origem do stress e os tipos de stress existentes, como podemos reduzir o stress para manter a qualidade e a rentabilidade das culturas? Fazê-lo de forma sustentável é um desafio ainda maior.

Na Symborg, acreditamos firmemente na biotecnologia como uma ferramenta para o conseguir e, por isso, oferecemos aos agricultores uma vasta gama de soluções biológicas que promovem a redução do stress nas plantas. Eis algumas delas:

Os bioestimulantes MycoUp, Resid MGResid HC promovem o desenvolvimento das raízes e estimulam a absorção de nutrientes e água, resultando em plantas mais fortes. São soluções adequadas para resolver os efeitos do stress abiótico, especialmente o stress hídrico e os problemas de salinidade. Desta forma, as plantas estão melhor preparadas para lidar com situações de seca.

MycoUp 360 é outro bioestimulante. É adequado tanto para o stress abiótico como para o stress biótico. Esta solução maximiza a produção, mesmo na presença de nemátodos.

O bioestimulante TrichoSym Bio aumenta a resistência das plantas ao stress abiótico, como a salinidade, a seca e as inundações. Melhora a nutrição das plantas através da solubilização de macro e micronutrientes e aumenta a capacidade de desenvolvimento do sistema radicular.

VitaSoil é um regenerador de solos baseado em microrganismos rizosféricos, prescrito para lidar com ambos os tipos de stress, biótico e abiótico. Desbloqueia os nutrientes, fixa o azoto, solubiliza o fósforo e outros microelementos que permitem à planta otimizar o seu programa de nutrição nos momentos de maior exigência nutricional.

 

Como pode ver, na Symborg nascemos com um ADN inovador e estamos à disposição dos agricultores de todo o mundo para obter colheitas mais rentáveis de uma forma segura e ambientalmente sustentável. Quer juntar-se à revolução biotecnológica?

SOLUÇÕES BIOESTIMULANTES

DESCUBRA-AS

productos-act.png
Descubra as nossas soluções bioestimulantes e ajude a aumentar o crescimento, a qualidade e a produtividade das suas colheitas.

DESCUBRA-AS